Select Page

A motivação é externa ou interna?

A definição mais comum de motivação diz que se trata de um “impulso interno que leva à ação” (Wiki), mas será a mais usual?

A minha opinião é que a motivação pode ser interna ou externa. A questão aqui é que muitas vezes procuramos a externa quando deveríamos estar a tentar criar interna. O mais produtivo é que a motivação seja interna, que venha de dentro o impulso para agir. Por normal somos ensinados a procurar motivação em fatores externos: como vídeos, citações, frases inspiradoras, alguém que nos motiva (como influencers), alguém que nos pressiona (como o chefe), prazos de entrega, imposições sociais, etc. Trata-se de uma exteriorização de algo que é na sua génese interna.

A motivação interna é quando fazes algo por foco, objetivo, propósito, independentemente de haver alguém a dizer-te para o fazeres.

Definição de motivação (wikipédia): “(…) à condição do organismo que influencia a direção (orientação para um objetivo) do comportamento. Por outras palavras, é o impulso interno que leva à ação.”

Se é um impulso interno que influencia a ação, porque é que nós tentamos exteriorizá-lo, esperando que haja um fator externos que nos impulsione (ou obrigue) a agir?

 “Most people think they lack motivation when they really lack clarity.” James Clear

O facto de te faltar motivação não tem necessariamente a ver com o facto de tu gostares de procrastinar, teres a crença que não és bom o suficiente, ou falta de autoconfiança. Porque quanto tu realmente queres, ou consideras necessário, tu arranjas maneira de agir. Quando não precisas de motivação é porque sabes, sabes o que fazer, quando fazer, como fazer, quando queres fazer. Essa é a Clareza!

O perigo de procurares motivação externa

Se estás a exteriorizar a motivação, estás a dar poder a outras pessoas, em vez de tomar controlo dela e usá-la quando mais precisas. Pensa realmente o que é necessário mudar para que esta não seja a regra.

Enquanto estiveres a externalizar o poder e a responsabilidade da motivação, estás só a reagir. Estás a deixar que os outros (o chefe, o parceiro, o professor, a família), tomem controlo dos teus objetivos e resultados. A forma mais fácil, rápida e eficiente de lidares com os resultados da tua vida não é através da reação a motivações externas, mas sim através da clareza e motivação interna. Quando o teu impulso para agir vem de forma natural, propositada e clara, essa tua ação vai realizar-te muito mais do que qualquer outra. Quando há clareza não há necessidade de motivação externa!

Não se trata da motivação por si só, trata-se do porquê e para quê de precisares dela.

Não querer fazer algo não é necessariamente falta de motivação. Momentos de procrastinação podem ser indicativos de necessidade de rever prioridades, de estados de pouca energia, de momentos de vida em que o foco é outro. A motivação é relativa à ação e o impulso que tu tens para concretizar isso, seja isso o que for.

Em resumo:

  1. Questiona-te se a tua motivação neste momento é interna ou externa.
  2. O que é para ti estar motivado? Como te sentes? O que consideras necessário a isso?
  3. Se a tua motivação habitual é externa é importante que a recondiciones a ser interna. E isso vem através da Clareza (de objetivos, de ação, de intenção, de milestones).

Lembra-te: independentemente de teres ou não motivação, sabes porque é que a queres, para que é que a queres? É como uma pescadinha de rabo na boca: queres ter motivação, para poder agir para poder concretizar algo, e esse algo vai dar-te motivação para agir. Por isso, se a parte da motivação está difícil é porque a parte do porquê e para quê não está clara.

Vê a transmissão completa AQUI.